PRÓTESE MAMÁRIA (MAMOPLASTIA DE AUMENTO)

A mamoplastia de aumento é a cirurgia que se utiliza de próteses de silicone para o aumento do volume e, conseqüentemente, do tamanho das mamas. É indicado para mulheres com mamas ausentes ou muito pequenas (amastia ou hipomastia), sendo estas desproporcionais com relação ao tamanho do tórax ou a compleição física. Também está indicada para mulheres que, após a amamentação, ficaram com as mamas diminuídas e murchas.

Essa técnica pode estar associada à mastopexia, que é a retirada de pele da mama, quando a mesma é muito caída. Para isso, pode-se incluir uma prótese mamária de silicone, reduzindo-se o tamanho da cicatriz necessária para elevar uma mama caída.

Este procedimento pode ser realizado a partir dos 16 anos, quando a formação da mama já está completa. Porém esta idade pode ser muito precoce devido a paciente não estar psicologicamente amadurecida para decidir pela operação.

Sempre converse com seu médico antes de se decidir; para que ele possa lhe mostrar os potenciais benefícios e limitações desta técnica operatória, de acordo com o seu caso, pois vários aspectos individuais irão influenciar o resultado.

Pré-operatório

  • 1 – Não tomar nos 15 dias que antecedem a cirurgia: AAS (Melhoral, Buferim, Aspirina), Anti-inflamatórios, fitoterápicos (Kava Kava, Ginkgo biloba).
  • 2 – Pacientes hipertensos e diabéticos não devem suspender as medicações.
  • 3 – Deverão ser realizados exames pré-operatórios como sangue, urina, Rx de tórax, mamografia ou ecografia de mamas. Risco cirúrgico será solicitado quando necessário.
  • 4 – Avaliação do Pneumologista e Endocrinologista também será solicitada quando se fizer necessário.
  • 5 – Fotos para comparação e estudo.
  • 6 – No dia da cirurgia, o paciente deverá fazer jejum de 8 horas antes da cirurgia, inclusive de água.
  • 7 – As fumantes devem interromper o hábito um mês antes da cirurgia. O tabagismo prejudica a cicatrização e predispõem complicações pósoperatórias como necrose, má-cicatrização e infecção.
  • 8 – Deve-se interromper toda e qualquer medicação para emagrecimento que eventualmente esteja tomando, no mínimo 20 dias antes da cirurgia. Pacientes que utilizam contraceptivos orais podem ser solicitadas a interromper o seu uso por um mês antes do procedimento cirúrgico, assim como as pacientes que utilizam reposição de hormônios femininos.
  • 9 – Outras recomendações serão dadas de acordo com as peculiaridades de cada paciente. A paciente deve comunicar qualquer anormalidade que possa lhe ocorrer no pré-operatório até a véspera da cirurgia.

No dia da cirurgia

  • 1 – Retire brincos, anéis, correntes e outros objetos metálicos, levando somente o que for necessário.
  • 2 – Antes de ir para a clínica realize sua higiene pessoal com bastante rigor.
  • 3 – não faça qualquer depilação na véspera ou no dia da cirurgia, e não utilize maquiagens e esmalte de unha para facilitar a monitorização pelo anestesista.
  • 4 – Não se esqueça de levar a cinta modeladora e objetos para higiene pessoal.
  • 5 – Comparecer à clínica pelo menos 1 hora antes do horário previsto para a cirurgia.

Técnica Operatória

O cirurgião, juntamente com a paciente, deverá decidir qual o tipo de prótese, tamanho da prótese, a melhor via de acesso e localização dos implantes. As cicatrizes dependerão da via de acesso escolhida que poderão ser: periareolar, inframamária ou trans-axilar; conforme esquema abaixo. A prótese de silicone pode ser implantada em dois locais, subglandular ou submuscular, dependendo da indicação do cirurgião.

Anestesia

O procedimento é realizado, comumente, sob anestesia peridural com anestesista. Podem-se realizar outros tipos de anestesias quando houver cirurgias associadas. Durante a intervenção cirúrgica, o paciente é monitorado pelo anestesista, procedimento que julgamos de vital importância na condução de nossas cirurgias.

Internação

Para anestesia peridural entre 12 e 24 horas.

Pós-operatório

  • 1 – Seguir fielmente as medicações em receita.
  • 2 – É proibido FUMAR, ou estar perto de fumantes.
  • 3 – Repouso relativo domiciliar (48 horas). Sempre que necessitar, ande pela casa.
  • 4 – Sempre que se levantar, permanecer sentada por 1 minuto antes de andar.
  • 5 – Massagem em panturrilhas 2 vezes por dia.
  • 6 – Não se expor ao sol por três a seis meses.
  • 7 – Ingerir bastante líquidos; pelo menos 2 Litros por dia: água de coco, sucos, Gatorade ®, etc. Evitar refrigerantes.
  • 8 – Dieta livre, de fácil digestão, pobre em gorduras, e rica em proteínas: clara de ovos, gelatina, carnes brancas.
  • 9 – Banho normal. Utilizar banco dentro do boxe.
  • 10 – Passar álcool 70% por sobre as fitas após o banho.
  • 11 – Utilizar o sutiã cirúrgico por 24 horas nos primeiros 15 dias, e por 12 horas diurnas por mais 15 dias.
  • 12 – Se for necessário retirar o sutiã, permanecer deitada e sem fazer esforços.
  • 13 – Nunca fazer compressas quentes, mornas ou geladas nas áreas operadas.
  • 14 – Não elevar os braços mais que um palmo em relação ao tórax e não sustentar peso maior que 1 kg. Evitar movimentos bruscos e estiramentos, bem como levar os braços para trás, pois estes movimentos forçam as suturas, contribuindo para formação de cicatrizes não estéticas.
  • 15 – Não dormir de lado.

Os pontos habitualmente são retirados entre 1 e 2 semanas. O edema regredirá em 70% após 1 mês da cirurgia, sendo que o resultado final se apresentará em 6 meses. Os cuidados com a cicatriz é um trabalho conjunto entre o cirurgião e a paciente. Após 1 ou 2 semanas podem-se iniciar massagens nas mamas para auxiliar no resultado e evitar contraturas, assim como massagem com óleos 42 nas cicatrizes (rosa mosqueta, amêndoas, óleo mineral, etc.). A paciente deverá utilizar sutiã sempre, pois após a colocação do implante, a mama se encontra mais pesada, ocasionando maior possibilidade de queda da mesma.

Complicações Possíveis

Todas as pessoas submetidas a um procedimento cirúrgico estão expostas a um risco de complicações. Este risco está relacionado a uma série de fatores como: ocorrência de doenças crônicas, idade, hábitos de vida, extensão da cirurgia, associação de cirurgias, tratamento cirúrgico de órgãos vitais, entre outros. Portanto todo risco é relativo, e está relacionado a cada indivíduo. As complicações que podem ocorrer quando se é submetido a uma cirurgia de prótese de mamas são:

  • 1 – Contratura capsular: é o problema mais comum com qualquer tipo de implante mamário. O organismo cria uma forte camada de tecido cicatricial (cápsula) ao redor da prótese de silicone. Essa cápsula encolhe comprimindo o implante e provoca desde um leve endurecimento da mama até um endurecimento total com deformidade da mama e dores, exigindo a retirada da prótese. A contratura capsular pode se iniciar a qualquer tempo após a cirurgia, mesmo anos mais tarde, porém a maioria dos casos iniciasse meses após a cirurgia. Essa alteração pode ocorrer em uma mama somente ou em ambas;
  • 2 – Infecção: pode ocorrer após 3 a 5 dias da cirurgia e o seu tratamento requer a retirada da prótese;
  • 3 – Deiscência (abertura) dos pontos;
  • 4 – Hematomas (sangramentos);
  • 5 – Assimetrias;
  • 6 – Alterações cicatriciais como queloides, cicatrizes alargadas e cicatrizes hipertróficas;
  • 7 – Necroses (morte dos tecidos);
  • 8 – Seroma;
  • 9 – Extrusão do implante (prótese)
  • 10 – Ruptura da prótese e escape de gel de silicone: com as novas tecnologias essa é uma complicação que se tornou mais rara devido, principalmente, ao gel ultra-coesivo utilizado nas próteses modernas. As causas mais comuns de ruptura são: compressão mecânica por trauma ou algum acidente durante a cirurgia. Embora em caso de ruptura o gel seja coeso, poderá ocorrer migração sob pressão do gel para fora da bolsa cirúrgica, causando alteração da forma da mama, aumento da sensibilidade e formação de grânulos de silicone com nódulos palpáveis.
  • 11 – Outras complicações raras:
    • a) sensibilidade aumentada ou diminuída do mamilo;
    • b) calcificação da cápsula;
    • c) aparecimento de estrias em pacientes com predisposição. Em pacientes com implantes retro musculares pode ocorrer dor e deslocamento do implante durante atividade física com os músculos peitorais.

As próteses só necessitam ser trocadas quando apresentam alguma complicação ou quando, nos exames por imagem, apresentarem alguma alteração. Não há prazo pré determinado para a troca das mesmas.

É extremamente importante entrar em contato com seu cirurgião (e/ou sua equipe) para o relato de qualquer sintoma, pois ele é a única pessoa que poderá lhe tirar dúvidas e prestar as informações adequadas.

As insatisfações com relação ao tamanho das próteses podem ser resolvidas enquadrando-as como refinamentos, porém o custo das novas próteses será a cargo do paciente, como também as despesas de material, medicamento e a taxa do anestesiologista.

É importante frisar que a mamoplastia de aumento não tem como intenção a correção de pequenas assimetrias das mamas, assim como correção de posicionamento das mamas no tórax como, por exemplo, mamas divergentes (aréolas lateralizadas).