OTOPLASTIA (CIRURGIA DA ORELHA EM ABANO)

ORELHA EM ABANO: é o defeito congênito mais frequente do pavilhão auricular, sendo por volta de 8 (oito) anos, a idade em que mais se procura a cirurgia corretiva, quando a criança sofre com as chacotas dos coleguinhas.

Causas

É de origem congênita, os principais defeitos são:

  • Aumento do ângulo escafoconchal,
  • Aumento do ângulo cranioconchal,
  • Hipertrofia da concha.

Pré-operatório

  • Exames laboratoriais,
  • Radiografia do tórax,
  • Avaliação do pediatra e/ou cardiologista,
  • Lavar a cabeça com sabonete degermante no dia anterior ou na manhã da cirurgia,
  • Não precisa cortar o cabelo,
  • Fotos com incidência anterior, posterior e dois perfis.

Anestesia

O tipo de anestesia aplicada no paciente dependerá da idade e do seu perfil psicológico. Nos pacientes mais jovens (crianças) a anestesia de eleição é a geral inalatória e nos maiores e nos adultos, a anestesia é local com sedação.

Técnica Cirúrgica

A técnica utilizada dependerá do tipo de defeito diagnosticado. A mais comum é a realização de uma incisão na porção posterior da orelha e com a confecção das dobrais naturais da orelha e diminuição ou reposicionamento da concha auricular.

Internação

Será por um período de 6 a 12 horas.

Pós-operatório

  • O paciente usará um curativo por dois dias ou até sete dias.
  • Após a retirada do curativo, deverá lavara cabeça com sabonete degermante.
  • Os pontos serão retirados entre 10 e 15 dias.
  • Após a retirada dos pontos, usará uma faixa de balé ou de tenista sobre as orelhas, por um período de 30 dias consecutivos.
  • Ao deitar deverá colocar um coxim de algodão ou gaze entre a orelha e a faixa.

Complicações

Podem ser imediatas ou tardias:

  • As imediatas são: hematomas, infecção e deiscência de pontos (abertura dos pontos)
  • As tardias são: assimetrias, recidivas, cicatrizes hipertróficas e queloidianas, anestesia ou parestesia do pavilhão auricular.