Abdominoplastia

(Dermolipectomia abdominal)

Apesar da evidente variação de beleza ideal ao longo do tempo, o abdome firme, plano e com a cintura estreita tem sido universalmente admirado.

Atualmente muitas mulheres julgam sua saúde, forma física, envelhecimento e sexualidade de acordo com as proporções de seu abdome e mudanças ao longo de sua vida, sendo freqüente a insatisfação com sua aparência física.

 A abdominoplastia é uma cirurgia realizada para eliminar o excesso de tecido gorduroso e flacidez de pele, principalmente na parte média e inferior do abdome. Freqüentemente, mulheres que passaram por várias gestações têm uma quantidade excessiva de pele nessa região como resultado do aumento de volume do abdome durante a gravidez.

Na operação, o cirurgião descola a pele do abdome e a estica para baixo, removendo o excesso de pele e gordura. Nessa ocasião também é feito uma aproximação dos músculos abdominais separados durante a gravidez. Desta maneira conseguimos uma melhora da silhueta, com uma cintura mais delicada e bem torneada. Esta cirurgia por si só não constitui um tratamento para estrias, porém se estas estiverem localizadas na porção inferior do abdome, serão removidas.

A cicatriz cirúrgica fica posicionada na parte inferior do abdome, tendo-se sempre a intenção de posicioná-la na região onde o biquíni, ou a roupa íntima, possam cobri-la. A cicatriz da abdominoplastia é definitiva, e a paciente deverá decidir se a flacidez do seu abdome representa uma deformidade física maior do que a cicatriz resultante. Sempre converse com seu médico antes de se decidir; para que ele possa lhe mostrar os potenciais benefícios e limitações desta técnica operatória, de acordo com o seu caso, pois vários aspectos individuais irão influenciar o resultado.

Lipoaspiração

A lipoaspiração consiste na aspiração de gordura localizada através de cânulas conectadas a seringas ou ligadas a um aparelho de sucção. Elas são introduzidas no corpo por pequenos cortes na pele, que atingem a camada de gordura, e fazem a aspiração de determinada quantidade de gordura.
Com a lipoaspiração podemos modelar áreas do corpo como a barriga, culotes, dorso, ancas, cintura, coxas, área entre as coxas, braços e submento.

A cirurgia pode ser feita em várias partes do corpo ao mesmo tempo, respeitando limites descritos conforme resolução do Conselho Federal de Medicina (no 1.711, 10 de dezembro de 2003), que no seu artigo nono determina: “Que os volumes aspirados não devem ultrapassar 7% do peso corporal quando se usar a técnica infiltrativa; ou 5% quando se usar a técnica não infiltrativa. Da mesma forma, não deve ultrapassar 40% da área corporal, seja qual for a técnica usada.” Parte da gordura aspirada pode ser colocada em algumas áreas do corpo onde ela está em falta, modelando aquela região (lipoenxertia ou enxerto de gordura). A lipoaspiração não deve ser utilizada para emagrecimento, somente para tratamento de gorduras localizadas, que não foram eliminadas após regime dietético e atividade física.

Esta técnica pode ser associada concomitantemente a outras cirurgias plásticas como, por exemplo a colocação de próteses de mama, cirurgias das pálpebras, nariz, entre outras, sempre respeitando os limites clínicos do paciente.

Outro aspecto a ser observado, é o de que a lipoaspiração não deve ser o único tratamento em áreas do corpo onde já houver flacidez de pele. Ao se retirar o suporte que a gordura oferece, a pele ficará ainda mais flácida e caída (como em mulheres que ganharam muito peso durante a gestação e não conseguem perder tudo).

Sempre converse com seu médico antes de se decidir; para que ele possa lhe mostrar os potenciais benefícios e limitações desta técnica operatória, de acordo com o seu caso, pois vários aspectos individuais irão influenciar o resultado. Um exemplo: em pessoas acima dos 40 anos é frequente que o grau de flacidez da pele se acentue, fazendo com que a lipoaspiração não demonstre mais os mesmos resultados.

Uma dúvida frequente é a diferença entre os diversos termos existentes como lipoaspiração, lipoescultura, lipo seca, lipo tumescente, lipo ultrassônica, vibro lipoaspiração, minilipo, lipo light. Podemos dizer que o princípio básico é o mesmo para todas, ou seja, a aspiração de gordura localizada através de cânulas. As diferenças dizem respeito à quantidade de gordura retirada, tipo de anestesia utilizada, quantidade de soro que é infiltrado na gordura antes de aspirá-la, tipo de aparelho utilizado para a sucção.

Prótese mamária

(MAMOPLASTIA DE AUMENTO)

A mamoplastia de aumento é a cirurgia que se utiliza de próteses de silicone para o aumento do volume e, conseqüentemente, do tamanho das mamas. É indicado para mulheres com mamas ausentes ou muito pequenas (amastia ou hipomastia), sendo estas desproporcionais com relação ao tamanho do tórax ou a compleição física. Também está indicada para mulheres que, após a amamentação, ficaram com as mamas diminuídas e murchas.

Essa técnica pode estar associada à mastopexia, que é a retirada de pele da mama, quando a mesma é muito caída. Para isso, pode-se incluir uma prótese mamária de silicone, reduzindo-se o tamanho da cicatriz necessária para elevar uma mama caída.

Este procedimento pode ser realizado a partir dos 16 anos, quando a formação da mama já está completa. Porém esta idade pode ser muito precoce devido a paciente não estar psicologicamente amadurecida para decidir pela operação.
Sempre converse com seu médico antes de se decidir; para que ele possa lhe mostrar os potenciais benefícios e limitações desta técnica operatória, de acordo com o seu caso, pois vários aspectos individuais irão influenciar o resultado.

Mamoplastia

(MAMOPLASTIA REDUTORA E MASTOPEXIA)

A mamoplastia redutora é a cirurgia realizada para a redução e, conseqüentemente, elevação das mamas em mulheres com mamas grandes demais, pesadas e desproporcionais em relação à sua estrutura física, causando problemas na coluna e de postura, assim como problemas de ordem emocional e de baixa auto-estima.

            A mastopexia está indicada para mulheres que, após a amamentação e o avançar da idade, ficaram com as mamas caídas (ptosadas) devido à frouxidão dos tecidos e ao excesso de pele. A mastopexia pode ser associada à colocação de próteses de mama reduzindo o tamanho da cicatriz necessária para elevação da mesma.

Este procedimento pode ser realizado a partir dos 16 anos, quando a formação da mama já está completa. Porém esta idade pode ser muito precoce devido a paciente não estar psicologicamente amadurecida para decidir pela operação.

Sempre converse com seu médico antes de se decidir; para que ele possa lhe mostrar os potenciais benefícios e limitações desta técnica operatória, de acordo com o seu caso, pois vários aspectos individuais irão influenciar o resultado.